quarta-feira, janeiro 31, 2007

O voo da Joaninha


A história que aqui vou contar hoje é a de uma Joaninha, vermelhinha com pintinhas pretas, que conheci num passado recente.
A Joaninha quando a conheci, já era uma Joaninha crescida, que tinha como todas as Joaninhas, umas asinhas. Mas as suas asinhas tinham uma particularidade: abriam-se poucas vezes, tinham pouca força e confiança. De vez em quando e com muito esforço as asinhas abriam e levavam a Joaninha. Voam baixinho e faziam pequenos caminhos. A Joaninha pensava muitas vezes “mas se tenho asas e se elas servem para voar, porque é que as minhas não abrem e voam alto, para eu ver o mundo. Porque é que elas não me levam. Logo eu que queria viajar, percorrer o vale e as montanhas, conhecer todas as flores e encontrar outras Joaninhas”. Isto tornava a Joaninha uma menina triste e com um sorriso esmorecido. Até que um dia a Joaninha viu-se forçada a voar para perto do Rio. As asinhas resistiram inicialmente, começaram a bater devagarinho, fizeram a Joaninha chorar, mas não existiam muitas outras alternativas e assim contra todos os medos, as asinhas abriram e levantaram voo. Inicialmente voaram baixinho e devagarinho, mas aos poucos começaram a subir e a Joaninha começou a ver as flores mais altas, as árvores de fruto, o mar, e todas as outras coisas que a Joaninha sempre quis ver e conhecer. A partir desse momento nada na vida da Joaninha foi igual. As suas asinhas deixaram de ser preguiçosas, cumpriam a sua função e levavam-na para todos os locais que ela queria. O vermelho da sua roupa ficou mais brilhante do que nunca, as bolinhas pretas que a enfeitavam tornaram-se maiores e mais vistosas, o seu sorriso tornou-se resplandecente, existia nela uma alegria contagiante. A Joaninha não mais parou. As suas asas cada vez mais confiantes e corajosas, vão levá-la, hoje, a fazer, talvez, o maior dos voos e a cumprir um dos seus sonhos.

Que as tuas asinhas te levem sempre onde queres. Que elas nunca percam a coragem, a confiança e a força.

5 comentários:

Carminho disse...

É deliciosa a história aqui narrada da Joaninha e do seu voo...:)

Eu nunca tive dúvidas que a Joaninha iria voar e ter a coragem de cumprir aquilo que o sonho lhe pedia para fazer.

E para ela, que é uma irmã para mim, desejo o que desejo para mim mesma ...

E que sejam muito Felizes neste caminho que percorrerão a dois :)
Vale tanto a pena!! :)

Carminho disse...

Eu até ia postar um comunicado à nação dos g+g...mas vai mesmo em comment:

Atençom: Comunicamos que a partir do dia 01 de Fevereiro de 2007 o estimado Bacalhau com Natas passará a ter uma correspondente Oficial em London City, a caríssima Maria (Mary para os Brit's)

End of citation

Over and Out

Ivana disse...

Kiss ladybug!

Maria disse...

Amei missy meu amor. O teu texto está cheio de pequenos pedacinhos de emoções. Já rolaram lágrimas em London city. Mas molharam um sorrido sincero, grande e à Maria.....

Até já...

Seen you soon....

Li disse...

?

Todas as galinhas têm penas.
Eu tenho pena(s).
Logo:

Serei eu uma galinha?