quarta-feira, novembro 15, 2006

Um poema à serenidade...uma sereia serena...


UM POEMA

Não tenhas medo, ouve:
É um poema
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar,
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz...

Miguel Torga, Diário XIII

'A pequena sereia' em Copenhaga...

1 comentário:

Maria disse...

essa palavra, serenidade, tem definido o meu estado de espirito.

ao lado de outra, turbilhão.

que grande contradição.
alguém conseguirá entender? sim, claro que sim. tudo isto se torna claro quando nos vemos reflectidos num olhar......