quarta-feira, julho 26, 2006

MAR

De todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua,
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.


ANDRESEN, Sophya de Melo Breyner MAR, poesia Editorial Caminho, Lisboa 2001

Apetece tanto olhar para o mar, sentar na areia da praia a olhar para o mar, sentir a brisa do ar, inspirar, passar as mãos pela areia, olhar para essa Luz que encadeia, correr para a água,
mergulhar, mergulhar no mundo que conheço

Paz, calma
Por entre as águas, mergulha a alma

3 comentários:

Calina disse...

Pois é...

Apesar de não saber bem porquê, o MAR provoca em mim um efeito quase hipnótico.

Dependendo do meu estado de espírito, a reacção em mim diverge, assim como o próprio MAR, ora calmo, de uma tonalidade prateada… ora revoltoso, de uma tonalidade escura, de grandes vagas que nos ensurdecem.

Atraindo-me com o sussurrar ondulante das ondas que brincam na areia…
Afugentando-me com a ameaça iminente de ondas enormes que parecem devorar tudo o que lhes aparece pela frente!

No entanto não consigo passar à beira-mar sem ficar, por momentos (longos momentos), a observar o MAR, aquele imenso volume de água que nos desperta tantas fantasias… Que mundos se escondem nas profundezas do oceano? Que seres magníficos habitam as suas águas? Que tesouros perdidos, ficaram para sempre ocultos pelas águas do MAR?

MAR infinito, MAR imenso,
MAR revoltoso, MAR de tormento
MAR de cor, MAR de vida
…MAR!!

Beijocas grandes para todos!
Um muito especial para o meu menino!!!

Madalena disse...

O Mar....

esse senhor, infinito, que em todos provoca sentimentos "estranhos" e antagónicos.

Quando felizes queremos vê-lo, quando tristes, perto dele queremos estar.

O que é que tem ele de tão especial? Não sei responder, mas sei que é nele que gosto de me encontrar.

O Mar.....

Ivana disse...

(...)
"por entre as águas", vamos falando...

Boas ondas para todos.