terça-feira, julho 22, 2008

O novo Biz do Bacalhau

Faz já algum tempo que o Bacalhau está de molho. Quand’ tal vai ficar mole e a desfazer-se pelo que resolvemos retirá-lo da água por uns momentos a ver o que acontece.
Tínhamos, se os leitores bem se lembram, ficado bem lá atrás … O jovem Bilha andava a emborcar bejecas e camarões na costa moçambicana, já Maria andava a converter jovens britânicos à bacalhaumania.
Carminho submetia-se às malvadezas de uma massagista ex-pugilista, enquanto Ivana e Madalena estavam mais unidas do que nunca …

Estavam estas duas meninas uma noite a fritar bolinhos de bacalhau na esplanada de Bilha, quando de repente, Má-Dá, com os seus poderes místicos amplamente conhecidos, teve a visão!

- Ah! – gritou Madalena.

- Hã que foi minha? Tás-te a passar?! Os bolinhos tão a queimar, é? Relax … - acudiu Ivana, deitada na rede, ao fundo da cozinha.

- Não, não é isso! Estou a vê-lo … estou a compreendê-lo perfeitamente e é incrível … Nunca pensei que isto fosse acontecer, mas é inevitável, não há volta a dar!

- Ei ó Má-dá, tu estás bué de estranha! Não me digas que andaste outra vez a snifar Branca de Neve! Já te disse para te afastares dos pós brancos! Bateu mal agora, tá visto! – encolheu os braços Ivana enquanto tocava com a mão no chão para dar mais lanço na rede.
(vida boa é pra quem pode!)

- Não, não, Iv! Olha, o óleo está a dizer tudo. Eu estou a ter a visão nas bolhas do óleo. Ele não mente! – prosseguiu Má-Dá enquanto a sua cara escorria litros de suor devido à proximidade com que mantinha o rosto da frigideira.

- Oh c’um camandro, já tou a ver que tenho q’ir aí, bolas! – levantou-se Ivana, espreguiçando-se e desalinhando o cabelo, de forma a parecer cool. Enquanto caminhava até ao fogão, olhou-se no espelho do esquentador, olhou-se, desarranjou a franja e piscou o olho a si própria.

- Estás a ver a borbulhagem do óleo? – apontou Má-Dá fascinada.

- Sim, claro, e estou a ver que se não afastas a cara daí vais passar o Verão enfiada num quarto a pôr pomadinha pras queimaduras. Ei, chega-te pa trás! Mas afinal que raio estás tu aí a ver?

- Iv, olha, nós vamos ficar juntas! É isso que o óleo diz.

Ivana arqueou as sobrancelhas e recuou dois passos para trás e dois passos para o lado. Como o ritmo a entusiasmou ainda deu mais dois passos para o outro lado, regressou ao meio, deu mais dois passos para trás e repetiu o esquema mais duas vezes, acompanhando com um agitar de braços. Até que o ritmo Bob Marley subitamente parou na sua cabeça e a fez retomar ao estado de quase-choque que aquela afirmação de Má-Dá tinha causado em si.

- Ei, ó minha, pensei que desde o episódio Piloto do Bacalhau essas cenas de ‘frutinha’ te tivessem passado! Tás-me a confundir?! É que se estás, bem ficas aqui sozinha a fritar os bolinhos que eu não te ajudo a prová-los antes de os servires ao people da esplanada, topas?
Má-Dá suspirou enquanto olhava as suas unhas impecavelmente pintadas de encarnado. (tenho que passar mais endurecedor de unhas, pensou). Retomou o diálogo:

- Iv, olha lá, estás-me a confundir!? Eu não me estou a referir a frutas nem a frutaria, é um negócio bem diferente! Eu e tu vamos ser sócias, daí o óleo dizer que ficaremos juntas, percebes?

Ivana desta vez olhava por entre a janela e percebia era que estava um surfista alto e moreno sentado numa das mesas da esplanada, que até há cinco minutos atrás não estava ali. Ai não estava não que ela tinha-o ‘’micado’’. Tinha uma prancha grande e lustrosa, talvez não fosse má ideia ir ter com ele e perguntar-lhe que marca de parafina usava… Sabem é que Ivana acreditava que iria encontrar a sua parafina-metade e este candidato era promissor…
Má-Dá aproximou-se dela e trazia um pente ameaçador na mão.

- Iv, estás-me a ouvir a falar contigo? Bolas, se não ouves, vou-te pentear todinha! Vais ficar escovinha! – ameaçou uma Má-Dá em estado de nervos e com uma queimadura de terceiro grau a evidenciar-se-lhe no rosto.

- Ei, está bem, está bem, escusas de ficar vermelha que nem um pimento!

Ouvindo estas palavras, Má-Dá olhou-se no esquentador e realmente viu que não eram só as suas unhas que estavam encarnadas. A sua cara estava da mesma cor e aí percebeu que um calor insuportável crescia dentro de si. Tocou na cara e sentiu umas bolhas a formarem-se sorrateiramente. Aí percebeu! (finalmente!)

- Iv, queimei-me toda com o óleo dos bolinhos! Tens que me levar já ao hospital! – gritou.
Ivana olhou novamente o surfista e tomou a sua opção. A parafina tinha que esperar, a sua amiga estava em apuros e com a cara a derreter tal qual manteiga guardada fora do frigorífico. Tinha que a acudir!

Correu a buscar o boogie e zarparam as duas ao hospital.
Pelo caminho, a brisa atenuava as dores da Má-Dá que estava furiosa!

- Mas por que é que tive logo eu que ser abençoada com o dom do visionamento no óleo quente? Podia continuar a ler o futuro nas espinhas do bacalhau mas não! Não! Tinham que me dar um novo dom! Este narrador mete nojo!!!!

(Ei, calma lá que te corto o pio, menina Má-Dá!!! Eu, Senhora Narradora, mereço respeitinho! Vamos lá continuar mas com suavidade, ok?)

- Chill out, minha! Vais ver que os Doc’s te tiram isso da cara num vipe! – confortou Ivana.

- Iv, o que te estava a tentar dizer antes de ficar neste estado encarnado, era que eu tive uma visão. E não foi de óculos de sol, não havia nevoeiro. Tu bem viste, o óleo não estava requentado, eu encetei uma nova garrafa e era novinho! Não há engano! Nós vamos ser sócias. Vamos abrir um novo negócio nunca antes visto!

- Ai, sim? Então o que viste foi trabalho!? Cum camandro! Ainda se nos víssemos a ir de férias juntas para o Tahiti ou para as Phi-phi ainda valia a pena a queimadura, agora isso … Ó minha deixa que te diga mas não vale a pena o esforço! – disse Ivana desiludida com a revelação – Mas agora diz de uma vez, antes que desista de te ter escolhido ao invés da parafina. Que raio de trabalho é esse? Quê? Não me digas, o Bilha vai abrir vagas e vamos começar a produzir Iscas de Bacalhau para fora?

- Não, nada disso. Vamos fazer … Consultadobacalhoaria!

- Quê?! – respingou Ivana. Que raio é isso de consultabacalhoria?

- Não é assim que se diz. É Consultadobacalhoaria! É como te disse, algo que nunca foi feito, algo nunca visto! – revelava Má-Dá entusiasmada, apesar das dores.

- Cá para mim tu usaste um óleo do Lidl e estava estragado… - disse Ivana, ainda céptica.

- Não, eu explico-te. É assim: …

Má-Dá ficou subitamente muda, porque a narradora quis ser um pouco perversa e deixá-la um pouco de molho devido à malcriadez da menina para consigo, momento atrás. Para além disso a narradora considerou ser este o momento adequado para informar os leitores do paradeiro de alguns dos restantes membros deste Bacalhau … Enquanto Má-Dá e Ivana demolham um pouco, vamos descobrir a jovem Maria…

Maria, agent Mary se bem se recordam, está neste momento, num avião a jacto. A sua missão estava a ser não só bem sucedida como altamente reconhecida no reino de sua Majestade. Com efeito, no Palácio de Buckingham já não se comia nada que não tivesse como ingrediente principal o Bacalhau!

A Queen Bétinha começava o seu dia com uma omoleta de bacalhau desfiado. Ao almoço não dispensava um Bacalhauzinho com Broa e à noite, para ser algo mais ligeiro, tinha predilecção pelo Bacalhau cozido. Sempre acompanhados de um belo de um chá de menta, para facilitar a digestão, que os ENO estouravam com o orçamento real!

Agent Mary transformada de menina e moça de recados de Carminho, em mulher e banqueira de prestígio em Londres, usava assim de uma dupla-identidade. No banco, utilizava as listas de clientes para angariar mais seguidores do culto bacalhoeiro. Em breve, seriam uma enorme mancha e Mary seria a Queen do Bacalhau! Ahahahh!
Nesse momento, Agent Mary dedicava-se a uma tarefa de maior importância. Escrevia uma mensagem aos recém-casados Bilha e Carminho.

(Pois é! Bilha e Carminho casaram-se!! Não sabiam? Há-há-há- não sabiam!? Pois ficam a saber!)

’Dears Bilha e Carminho,

I rite yous directamente from my secretária of chic mogno and with a tampe in mármore. Caríssima! Expenssissivly! For that, utilizo one Montblanc of permanent teint given by my Mr. P. with a joaninha gravada. Mr. P has this adoração for joaninhas, you never no why? But the fact is that I talvez alimente essa obsession … Well, fetiches à parte, queria, sobremaneira, sobremanne, I mean, dizer-vos que I loved your Kamasutra Book que me enviaram so kindly from Nepal. Mr. P and I use post its on the favourite chapters! J Well, está na happy hour, tenho que join the colegas no pub. Not my cup of tea but well…I’m a secret agent undercover so I must go… Bye, bye, kisses! Cheers! Hihihi, hehehe, hihihi, hehehe!

Mary of London’’

Dado o suspense necessário, regressemos pois a Madalena e Ivana. Irei retirá-las da hipnose em que se encontram: Look into my eyes, Look into my eyes, not the round of eyes, only in the eyes…Wake up! (qualquer semelhança com a Little Britain é pura coincidência…cof, cof…).

- Não, eu explico-te. É assim… - repetiu Má-Dá, bocejando.

- Que sono! – espreguiçou-se Ivana.

Mas estavam agora à porta do hospital. Má-Dá deu entrada numa maca, após Ivana ter dito ao rapaz das urgências que a amiga se tentara queimar em acto de desespero por um amor não correspondido. Situações como esta geralmente eram atendidas com luz verde e assim Má-Dá passou à fente de pessoas com crânios esmagados devido a brutais acidentes de viação, bebés com febres de 44 graus e grávidas com os filhos já à espreita nas saias da mãe… É vida: quem é esperto, safa-se!

Atendida por um belíssimo médico em tronco nu, porque ele simplesmente não aguentava o calor que Má-Dá emanava da sua cara, agora não só devido à queimadura mas também causado pelo estado de rubor em que se encontrava, Má-Dá teve finalmente um momento refrescante. Ele deitou-a na maca, em câmara lenta e Má-Dá percebeu que ele usava Acqua de Gió. Sentia-se a pairar nas nuvens! Aquela era a visão mai linda que já tivera e mais cheirosa também! O gentil médico colocou-lhe umas compressas com gel refrescante e reparador na cara e deu-lhe Ice Tea fresco por uma palhinha.

Enquanto sugava, Má-Dá repetia para consigo: mudásti, mudásti! – numa clara alusão ao estado de dah em que se encontrava devido à perturbadora e máscula presença daquele médico do serviço de urgência!

Ivana andava às voltas na sala de espera, confusa com a revelação de Má-Dá até que lhe disseram que podia ir vê-la.
Entrou no quarto e viu a sua amiga coberta de compressas. Apenas se via compressas e um sorriso rasgado!

- Eh lá, viste o passarinho verde, foi? – brincou Ivana.

- Vi e cheirava tão bem! – balbuciou uma Má-Dá embriagada com Acqua di Gió.

- Olha, agora que a malta está mais calma e fresca e tal, explica lá o biz.

- Ok, aqui vamos, a ver se é desta. Vamos ser consultadoras de bacalhau. Ou seja, vamos trabalhar juntas no negócio da Consultadobacalhoaria, que basicamente consiste em a gente aconselhar outros sobre os negócios do bacalhau! Podemos, por exemplo, dar Formação em Como Fazer Iscas de Bacalhau no Contexto da Inovação das Fritadeiras Tefal, ou, Como tornar as Migas de Bacalhau Assertivas, ou ainda, Desenvolvimento de Competências Salgadas no Bacalhau Ultra-Congelado. Entendes? Pessoas como o Bilha e outras lanchonetes, restaurantes, e tal não vão conseguir passar sem nós. Nós ainda vamos fazer Entrevistas de Selecção dos Bacalhaus que eles vão ter. Vamos fazer Head-Hunting de Bacalhau, ou seja, pescar as melhores ‘’Cabeças’’ de Bacalhau! Vamos ficar ricas !!!!

Ivana olhava Má-Dá animada. Não tinha percebido nada do que ela tinha para ali dito mas a última frase deixara-a super entusiasmada. Rica?! Agradava-lhe!

- Vou poder comprar as ilhas Tahiti com os surfistas incluídos? – perguntou.

- Claro que sim, Iv! Tudo será possível com este negócio!

No regresso à lanchonete, viajam num boogie duas jovens empreendedoras. Iam de cabelos ao vento, com a mente cheia de planos, a correr livremente…
Entretanto, os bolinhos de bacalhau, todos queimados, pareciam meteoritos e a lanchonete cuspia fumo para o ar, enviando a Bilha a mensagem:

‘’Bilha, acode! A Má-Dá fugiu com a Ivana e vão abrir outro negócio!!’’

Em casa, enamorados, Bilha e Carminho receberam a mensagem de fumo enviada pela lanchonete.

- Carminho, babe! Foste promovida a fritadeira de bolinhos de bacalhau! – disse Bilha – Toca a acordar deste belo soninho de mel e bora lá pra labuta!

- Tudo eu, tudo eu! – respingou Carminho, mas lá foi ela e o seu agora esposo, Bilha. De agora em diante, as férias nas lhas Caimã e no Barco de Valentino e de Armani tinham terminado e teria que assumir novas responsabilidades! O negócio da lanchonete também lhe pertencia e ela estava decidida a dar-lhe glamour!

Enquanto iam a caminho, Carminho já tinha planos para o novo prato de Bacalhau Gourmet – Nouvelle Cuisine da Lanchonete. Ia ser um sucesso!

5 comentários:

Juana disse...

BRUTAL!!!

Ivana disse...

uma nova vida!!!!


Obrigada narradora! obrigada!

Narradora disse...

Não tens de quê, Iv! ;)

Ivana disse...

Narradora,

Acho que nos planos que tens para o próximo episódio do bacalhau deves fazer referência (repara esta cena de eu agora usar palavras bué de instruídas e tal...), portanto, referência à minha inscrição no centro das novas oportunidades (new chances center, em inglês) aqui ao pé da praia.
Tenho a ambição de ver as minhas competências reconhecidas e, já agora, se é para ver, gostava de ver o surfista que mencionas, de novo, lá na lanchonete.
Tenho escrito cenas e tenho recolhido umas fotos muito porreiras para as Psis lá do Center meterem dentro de uma capas de cartão com lombadas coloridas. Também tenho demonstrado os meus dotes no computador e a minha navegação na net. Navego e nunca mais me apanham, topas? lol
Conto ter o diploma do 12º ano lá para setembro e depois é só inscrever-me na Universidade onde andou o PM que diz que é das boas e é quase igual a este Center onde estou agora. Prontos, ok, é em Lisboa... Mas não se pode ter tudo né?
Xau aí. Peace!

narradora disse...

Cara Ivana,

Terei em consideração a tua proposta.
Quanto a ser em lisboa, que não seja esse um empecilho.
Nesse fantástico centro de estudos superiores poderás fazer o curso on-line, por video-conferência ou, se preferires, por correspondência.
Os selos nem estão caros e com o correio verde tudo é mais fácil!

Fico feliz por saber que ajudas de forma tão afincada as Psis. Elas bem precisam de ser ajudadas!!
Quanto ao surfista vamos a ver, se optares pelo curso de correspondência, podemos fazer aí um up-grade e o rapaz ser surfista e carteiro, em part-time.

Quando a navegares na Net acho lindamente. Mas com cuidado, andam pra aí sites e blogs perigosos com um que é qualquer coisa grupomaisfixe ... ou coisa do género, agora não se me ocorre o nome...