quarta-feira, setembro 24, 2008

Sonho.....

Fecho os olhos.
Vejo o mar da janela do quarto. Um mar calmo mas forte. O mar é sempre forte. Poderoso. Volto-me para dentro do quarto e sinto o vento que entra pelas janelas abertas. Um vento forte que faz abanar as longas cortinas. Longas cortinas brancas. O quarto é amplo, mas aconchegante. Branco. O meu olhar percorre o quarto. Percorro as paredes despidas e sem cor. A colcha de renda branca. As cortinas brancas. Risos doces interrompem-me o devaneio. Num dos cantos uma manta colorida. Brinquedos coloridos e de variadas formas espalhados no chão. Respiro fundo. Observo-os. Não se apercebem que ali estou. Que os observo. Brincam. Riem. Estão perdidos no mundo deles. São tão pequenos mas neles reside a força de duas vidas. De vidas inteiras. De vidas que vieram de mim. Têm vozes e risos doces. Rostos doces. Rostos de bebés. São tão frágeis e tão fortes. Serão capazes de aceitar todo o meu amor? Continuo a observá-los. Finalmente apercebem-se da minha presença. E riem ainda mais. Risos estridentes e cristalinos. Fecho os olhos. Penso que não me lembro como era tudo antes deles. Divago pelas memórias. Lá fora uma onda rebenta na praia e o som que produz é surpreendentemente tranquilo e calmante......
De repente tocam-me no ombro e tudo desaparece. È o revisor que insistentemente pede para ver o meu bilhete de viagem.....

6 comentários:

Freud disse...

Ora estamos perante uma actividade onírica típica de um recalcamento. Recalcamento, portantos, um duplo calcar de algo que estará relacionado com a sexualidade.
Aliás, tudo é sexualidade, tudo.
Já vos tinha dito?

Dali disse...

Ora não há nada a derreter nem elefantes com pernas de girafas por isso não fui eu que pintei o teu sonho...

Li disse...

Também tenho uns sonhos a tender para o surrealismo. Pena não me lembrar deles mais do que os primeiros cinco minutos após despertar. Daria certamente um livro...
Quanto aos bebés, hum...hum...Ah e tal 'serão capazes de aceitar' o teu amor ... Aí há gato! ;)

O revisor disse...

Ora menina, vou ter que a autuar, que sem bilhete não pode biajar!

a menina do sonho disse...

E quem lhe disse que eu num tenho bilhete senhor?

Betty disse...

Bebés?! Alguém falou em bebés?! Será que vou ser tia emprestada? Ou estarei eu também a sonhar?