domingo, setembro 21, 2008

Relato da viagem à nuvem de algodão

Notas musicais que lembravam a languidez e sabedoria orientais, a natureza, a terra e as pedras e a água. Notas que me entravam nos poros da pele e iam construindo o bilhete de passagem para aquele mundo onde ficamos quando nos sentimos seguros.
As velas que iluminavam os cantos da sala.
O mundo de odores que tocavam cada parte do meu corpo de forma distinta e que me traziam á boca sabores que ainda tentei inicialmente descortinar.
O toque da massagem que percorria o meu corpo.
A angústia que se esvaía… a respiração que se lentificava…

Estive deitada numa nuvem de algodão. Pena ter acabado.
Obrigado, muito obrigado.

3 comentários:

Madalena disse...

Nuvem de algodão!!!!!

Nunca tinha pensado dessa forma, mas a verdade é que é isso, exactamente.

Nuvem de algodão! Adjectivo perfeito!

Li disse...

Sim, belíssima metáfora.

Ainda bem que gostaste!
A viagem à nuvem de algodão vicia!

Maria disse...

Ainda que gostastes!!!!
(heheheheeh)
:-)
Olha lá agora também quero!!! Que raios.....
Buáááá
PS - Falando a sério, adorei a descrição