quinta-feira, outubro 15, 2009

«Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não o escreves, porque não te resta nada para dizer»



São linhas escritas de e para quem gosta de viagens de aventura e, sobretudo, para quem aprecia a narrativa de viagens. É descritivo, porém, poético e introspectivo.
Fala-nos umas vezes à mente, outras ao ouvido e outras ainda ao coração. Tem momentos doces, outros melosos, outros até presunçosos! É idílico e infinitamente romântico.
É um bilhete de ida para o deserto e um convite ao despojamento.
E é um diálogo de amor travado no silêncio da cumplicidade.
Lembra-nos que assim como a poeira de areia do deserto nunca pára ao sabor do vento, também o tempo nos empurra para o (in)finito e, com ele, as pessoas que entram e saem das nossas vidas.

Foi um belíssimo Presente de aniversário, intensamente saboreado.
Obrigada, minhas lindas.

Aqui vai um excerto com o qual não podia estar mais de acordo …


(retirado de ''No Teu Deserto, Quase- Romance'', de Miguel Sousa Tavares)

2 comentários:

Madalena disse...

Bem, acho que também vou ter que ler.

Ainda bem que gostas-te!
:)

Maria disse...

Também foi um presente de aniversário mas está espera da sua vez!! São os livros que me aguardam.. tantos...

Adorei a citação!!!