domingo, setembro 19, 2010

Festival de Sensações


Enquanto as crianças faziam ali ao lado marionetas, a partir de tudo o que o mundo dos homens geralmente deita fora, do outro lado do jardim decorria uma das três histórias do espectáculo "Petites histoires sans paroles", integrado no Festival Internacional de Marionetas do Porto. No meio de tantas avanturas, um saco devorava as marionetas que lhe apareciam. Uma aventura em que uns salvam outros, em que as marionetas descobrem quem as manipula, em que o som dos pássaros completavam na perfeição o som que o músico extraía do seu laboratório musical. Lembrei-me de pessoas assim, que devoram quem as procura conhecer, e depois lembrei-me de pessoas que nos salvam.




Nós riamos e tentavamos prestar atenção ao teatrinho, mas era complicado quando ao nosso lado tinhamos crianças com gargalhadas apetitosas, que se repetiam uma e outra vez. Mesmo ao nosso lado, duas meninas conversavam sobre acontecimentos das férias e uma delas explicava que o homem que viu na praia a nadar "era mesmo muito grande, do chão quase ao tecto da praia!". Do outro lado, um menino no colo do pai perguntava com alguma apreensão "a mão vai morrer?". E eu não conseguia deixar de sorrir.





"Seremos nós marionetas?", perguntavamos em silêncio...


E quando retomavamos o caminho de regresso a casa, pelo meio do jardim, começamos a ouvir pequenas risadas, abafadas mas sem sucesso. Olhamos melhor e apanhamos em flagrante as marionetas de pedra perdidas de riso! Eram 13, a rir uns dos outros, a rir do mundo, e rir de nós. Um menino aproximou-se admirado e, estendendo o dedo de forma hesitante de início, imitou o marionetista no gesto de fazer cócegas na palma do pé do homem pequenino com gargalhada de pedra. E eu podia jurar que vi este ser petrificado inclinar-se ainda mais, acompanhando as nossas risadas.

Eu gostei deste domingo à tarde.

2 comentários:

Madalena disse...

Que giro... nesta semana que passou, também vi e toquei os "senhores" a rir. São tantos e tão bem dispostos, que sorrir é contagiante.

Maria disse...

ó que domingo tão divertido!!