sexta-feira, dezembro 26, 2008

O 1º. Natal do Bilha com a nova Família

Este ano a véspera de Natal teve um sabor muito especial.
O motivo: eu e o meu querido Bilha passama-lo juntinhos pelo primeiro ano!
Passava já das sete da tarde e todos estavam na azáfama habitual: Carminho entretinha-se a decorar com canela a aletria; o pai de Carminho rebolava no tapete da sala juntamente com o Coffee (o labrador pretinho mais doce do mundo!); a mãe e a irmã de Carminho argumentavam acerca da cor das rabanadas no processo da fritura (''Eu acho que já está, que deixar mais tempo elas ficam queimadas'' ''Ó filha, mas assim ficam cruas, olha para o que eu te digo''...).
As traquinas Mary e Sofas ensaiavam as cantigas de Natal com as quais nos presenteariam após o Jantar e, nos entretantos, distribuíam os postais de Natal personalizados que tinham feito com muito afinco. O nosso, escrito com uma caligrafia perfeitinha, dizia o seguinte:
'' Queridos Tios:
Neste Natal queríamos dizer que vos adoramos e que vocês nos levam a montes de sítios e os nossos pais não, que vergonha!
A ida à baixa no outro dia foi espectacular, adoramos!
Feliz Natal das vossas sobrinhas,
Mary e Sofas''
Depois de as cobrirmos de beijinhos pelo postalinho carinhoso, resolvemos embuir-nos de espírito natalício e pusemos o Madagáscar II no DVD (ok, não tem nada que ver com o Natal, mas é de chorar a rir).
Íamos já numa parte fabulosa do filme, durante a qual o girafo (?) faz uma linda declaração de amor à hipopótama e ...
Apagaram-se as luzes!!
Todos entraram em pânico! Velas!! Tragam velas!
Logo na hora em que o Jantar se ia começar a cozinhar, o acaso pregou-nos uma partida valente e o bacalhau, o polvo e as batatas tiveram que ficar à espera dentro dos respectivos tachinhos.
''Ah, isto não é nada, de caminho já passa'' - argumentou um.
''Isto é horrível. Vai demorar imenso tempo. O nosso Natal vai ser horrível!!'' - bradou a pré-adolescente (e por isso tendencialmente catastrófica) Sofas.
''Ei, que fixe, vamos abrir as prendas à luz das velas e pode ser já!'' - lançou a baixinha (e sempre despachada) Mary, a ver se colava a possibilidade de abrir as prendas antes da meia-noite.
Sentamo-nos todos nos sofás da sala: Bilha, Carminho, mãe, pai, irmã, irmã, cunhados, meninas. O Coffee não. Esse ficou no chão, a aproveitar-se da escuridão e do facto de ser escuro e se camuflar facilmente para rondar a mesa do presunto e dos queijos ...(no fim da noite ganhou-nos no cansaço quando abocanhou um bolinho de bolina à socapa)
Que fazer? Bem, só restava esperar.
E então, palavra puxa palavra, começamos todos a conversar sobre imensas coisas, a rir com aquela situação, a dizer piadas sobre o ''azar'', a equacionar levar tachos e panelas para casa dos nossos pais que têm fogão a gás ... a comer tostinhas com queijo, presunto e a bebericar um delicioso champanhe rosé.
Enfim, quando demos por ela, tinha já passado uma hora.
Fez-se finalmente luz e foi o êxtase!
Fizemos um brinde à electricidade (!) e retomamos as tarefas (desta vez mais animadas e tontinhas com o champanhe).
Há muito que não paravamos assim todos um pouco para conversar, brincar e rir.
Foi um momento muito especial que as palavras não conseguem alcançar mas o jantar teve outro sabor, as cantigas de Natal da Mary e da Sofas fizeram-nos babar e a banda sonora do Mamma Mia pôs toda a família a cantar e a dançar porque os ABBA são intemporais.
Bem-vindo à famelga, Bilha! Somos assim meio-esquisitos mas adoramos-te tanto!!!
Com muito amor, da tua Carminho.
P.S. - No dia seguinte constatei que afinal nem somos tão esquisitos assim. A tarde do dia de Natal foi passada a ver o filme ''Cars'' da Disney em replay contínuo e obsessivo imposto pelo little JP (a dada altura já sabia as falas) e a assistir um grupo de 6 pessoas, entre as quais pais e tios, a ''derrearem-se'' e a dar tudo por tudo por conseguir ganhar aquele que foi o Torneio de Mikado Gigante mais insólito e divertido a que já assisti.
O auge foi atingido quando o pequeno JP coloca uma letra magnética no quadro de brincar e questiona, com ar eloquente, o padrinho Bilha.
'' Qui é?'' - pergunta o mestre JP apontando para a letra.
'' É a letra B'' - responde o pupilo Bilha.
'' Muto bem!''
Todos desataram às gargalhadas.
Não sei o que os míudos de hoje em dia tomam ou bebem que os faz ser assim, mas cá euzinha com dois anos e meio devia estar entretida ainda com guizos e com gugus e dadás ou algo do género! :)

2 comentários:

Anónimo disse...

Gostei muito Minha doce a adorável Carminho!!
mas para a próxima não precisam de subornar o Eng da EDP para que haja um apagão na noite de Natal... Não é preciso tanto... Manias de impressionarem... eheh!

Adorei o Natal!!
Bilha

Maria disse...

Lindo Natal o vosso!!!

E acredito que o momento da falta de luz tenha proporcionado momentos verdadeiramente especiais. É assim que se vai fazendo a vida, né?

O nosso Natal, meu e do Pedritito, foi um pouquito estranho, pois não estivemos juntos. Mas ele esteve sempre no meu pensamento, pois faz parte de mim!! O nosso primeiro Natal juntinhos foi passado em Londres, longe das familias apenas com amigos. Mas nunca me esquecerei daquela noite. Eu que simplesmente adoro o Natal, adorei tê-lo comigo!!