terça-feira, fevereiro 26, 2008

E esta hein?!

Por esta é que ninguém esperava ! (?)
Que notícia espantosa, que novidade mais que surpreendente!
Pois é: o Sol noticia que um estudo hoje divulgado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior que revela os dados de empregabilidade dos cursos do superior classifica
os cursos de Enfermagem e Psicologia recordistas no desemprego.

Realmente, ainda estou boquiaberta! É que ninguém suspeitava disso...
Psicólogos no desemprego? E esta hein?
Se calhar, vai-se a ver não é uma profissão sensual também ... e aí é mesmo o escandâlo.

3 comentários:

Madalena disse...

AH! Sério?!?!?

Mas isso será mesmo verdade?!?!?!

Mas têm a certeza?! Certezinha?

Quem diria?

Estou para a minha vida!

Porque será?

Agora é melhor fazerem um outro estudo para saber o porque desses números!?

É que eu, atendendo ao meu senso comum, não me consigo lembrar de nenhuma explicação! Nenhuminha mesmo! Tou mesmo sem ideias!

Doutora Leta disse...

Ora bem, vamos lá a ver...

isso são calúnias. Obviamente que não há psicólogos no desemprego, isso toda a gente sabe. E acho triste que se ande assim a espalhar este tipo de informações. Eu, por exemplo, sou uma psicóloga e tenho imenso trabalho. Especialmente depois de ter ido ao CNO que tenho na esquina da minha rua. Falei com as doutoras e elas fizeram-me uns testes, eu demonstrei que sei muito bem como é que escreve um horóscopo semanal (com todos os signos!) e demonstrei que sei fazer as contas de troco a dar aos clientes quando lá vão ao consultório para a terapia. Assim, hoje tenho um diploma derivado das minhas competências, por causa que por não ter acabado o liceu não significa que não saiba fazer terapia. Escuto muito bem.
De maneiras que o resultado deste estudo é falso, e, se há mesmo uma meia dúzia de psicólogos no desemprego, isso é gente que não quer trabalhar.

Gosto muito do vosso blogue. Acho, no entanto, que há alguns perfis com tendências ciclotímicas ansiolíticas no grupo de quem escreve.

Um bem haja!

Maria disse...

a economista no "exilio" profissional nem comenta isto...