sexta-feira, agosto 25, 2006

Leveza de estar



Quando se pensa numas férias no Alentejo, vem logo a ideia o descanso e a paz que todos diziam que se vive por aquelas terras.

Muito bem. Experimentei e confirmo: É VERDADE.

Como é óbvio já de regresso, sinto falta daquela água, que no primeiro momento que lhe pomos a vista em cima, nos convida a entrar; das praias, com aquelas rochas enormes que te parecem proteger e esconder; das roupas e calçado leves e confortáveis; das caminhadas feitas, algumas em silêncio, como que procurando algumas respostas as nossas inquietações; do nervosismo que nos trespassava, sempre que tínhamos que contactar com a proprietária das nossas “palhotas”; das visitas que se fizeram e das histórias que os locais nos tentavam transmitir; daquele jantar, naquela praia, onde vou, de certeza, voltar; das risadas que se deram antes, durante e depois da nossa passagem pelo Bolhas; da dança na calçada da rua…….

Mas a tranquilidade que me invadiu o espírito nestas férias foi definitivamente o melhor; tomei consciência que de facto quanto mais parar, mais adianto!
P.s. - Espero que os donos dos pés não se importem do uso que lhes fiz.

3 comentários:

Ivana disse...

Adorei.
Os meus pés são teus sempre que quiseres.
Adorei.

Carminho disse...

Acho vais mais longe: sinto-te leveza de ser. Sem dúvida alguma que parar para reflectir em vez de correr a desesperar pelo desconhecido que há-de vir é uma atitude muito sensata (ou não fosse este o teu atributo máximo).
Que mantenhas a serenidade, biju.


********************************
(Foi impossível não tentar reconhecer cada pé... muito fixe a foto)

Maria disse...

Os meus pés deliciam-se com a "exposição" neste blogg...

Quanto a mim delicio me com o teu estado de espirito.. sinto te renovada!!!

Também o estou...

Prontas para o que der e vier....

Hasta...

Maria